A história de um remendo de estrela – how to mend like a star

Vou contar-vos a história destas calças com remendo. Tenho-as há anos! Eu adorava-as só que um belo dia, apareceu-lhes uma mancha na coxa direita, bem na frente. Na verdade era uma mancha escura bem pequena, tipo 3/4 mm de diâmetro. Só que… não havia modos de sair! Lavei, relavei, esfreguei, sacudi, escovei com vigor e com alma… até que a  mancha disfarçou! No seu lugar ficou uma mancha circular descolorida de 3/4 cm. É caso para dizer: foi pior a emenda que o soneto!

Pensei logo em aplicar um remendo, daqueles de colar, mas foi difícil encontrar um de que gostasse. Achei um em formato de rosa (igual ao da esquerda na foto), o qual colei bem em cima da Imagem relacionadamancha esbranquiçada. Contudo, tinha-me esquecido de um pormenor: a ganga é elástica e logo na zona da coxa, a ganga tem de esticar um pouco (bastante) e na zona do remendo não estica! Resultado: ainda as vesti assim algumas vezes mas nunca me senti bem com elas por me parecer que ficava estranho.

Arrumei-as durante muito tempo, principalmente porque “ganhei” uns kilinhos a mais. No verão passado, uma vez que regressei ao meu peso habitual, retirei-as do fundo do baú. O passar do tempo afrouxou a cola do remendo e por isso, desfiz-me dele, ficando com o antigo problema em mãos. Decidi fazer o remendo à mão mesmo, para compensar a elasticidade do tecido.

Qual o formato a utilizar? Redondo/oval como os que há a vender, não valorizavam a peça de roupa. Pensei numa das fôrmas de biscoitos que há cá por casa.  Em forma de flor, sino, coração? Acho que não combinava com a peça por ter um corte mais ou menos “cowboy”. Optei pelo formato de estrela, com o tamanho adequado à mancha a esconder. Delineei o contorno, com caneta mesmo. Agora qual a linha a utilizar? Após apurada observação da calça, verifiquei que a mesma não tem fios amarelos, como as demais mas sim linha cinza grossa (ver passadores de cinto). Escolhi linha de croché cinza tamanho seis.

Resolvi costurar cobrindo toda a mancha, como se de um tear se tratasse, seguindo o delineado da estrela. Tive o cuidado de fazer o tecido na diagonal, tal como o é a ganga, para manter a elasticidade da peça. Deixo-vos aqui o pormenor do trabalho, para tirarem a ideia, acho que não sou capaz de explicar convenientemente o processo. 

Ao produzir o trabalho, é claro que as linhas ficam direitas, alternando por cima e por baixo. Aqui nesta foto, as calças estão vestidas e eu estou sentada (logo, o tecido está esticado), daqui o leve ondulado da linha. Este trabalho tem imperfeições, mas não me envergonho delas pois foi o meu primeiro projeto de remendo e cumpre a sua função. Até já me disseram que não parece ter sido feito por mim, parece que vinha de fábrica!

Passados uns valentes meses e face à minha pesquisa em trabalhos manuais para este blog, descobri agora que podia ter utilizado a técnica deste vídeo. Aqui fica também a sugestão para quem precisar de uma alternativa!

Beijinhos a todas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *